Abraço

Uma das coisas que estranhei quando cheguei na Austrália foi o fato de que por aqui as pessoas não se cumprimentão com abraços e beijinhos no rosto como estamos acostumados no Brasil. Mesmo familiares e amigos quando se encontram costumam manter a distância.
Puxa, logo eu que gosto tanto de um abraço, é claro que no Brasil não saía abrançando todo mundo, mas aquelas amigas queridas, irmãos, sobrinhos e meus queridos pais, eu sempre abracei. É muito bom abraçar. Sem falar do maridão que eu vivo esmagando de tanto abraçar.

Estive lendo um artigo sobre o abraço e descobri que além de gostoso ele faz um bem danado. Aqui vai um trecho do artigo para vocês:

“O segredo da longevidade e da boa saúde pode estar em algo que vem naturalmente às mães de todo o mundo, mas que geralmente os filhos renegam: um caloroso abraço. Ser acolhido entre os braços de outra pessoa reduz a quantidade de dois hormônios do estresse, o cortisol e a norepinefrina, e aumenta a de oxitocina, o hormônio associado ao amor maternal, concluiu a psiquiatra Karen Grewen, da Universidade de Carolina do Norte, Estados Unidos.
Outros estudos já haviam sugerido que o divórcio, a perda dos pais ou do parceiro e o isolamento social prejudicam a saúde, mas só agora se consegue explicar os efeitos benéficos do casamento: o toque dispara a produção de oxitocina, que acalma e alivia o estresse e, por sua vez, alimenta o desejo de tocar e ser tocado. Mas a qualidade do contato é crucial. Abraços com tapas fortes realizados sob holofotes, como os vistos entre os políticos de Brasília, não valem; para alimentar o bem-estar, têm de expressar carinho e apoio.”
(Texto retirado do site http://revistapesquisa.fapesp.br/index.php?art=2761&bd=2&pg=1)

Bom, agora dá para aproveitar a desculpa de que é Natal e o ano novo vem chegando para abraçar e deixar ser abraçado e assim aproveitar os beneficios do abraço. Mas lembre-se tem que ser verdadeiro, ou seja expressar carinho.

Beijos e um Grande ABRAÇO para todos!

Anúncios

Então é Natal!

Faltam só alguns dias para o Natal. A correria esta grande nos shoppings de Perth. As pessoas compram enfurecidamente. Agora que estou trabalhando com vendas percebi uma coisa triste, muitas das pessoas que estão comprando presentes para as outras estão achando tudo isso uma chatice, e muitas vezes estão tão mau humoradas, que chego a achar que aquele esta sendo um dos piores momentos do fim de ano deles.

Eu não sei quando começou esse costume de trocar presentes no Natal, mas tenho certeza que já virou obrigação para muitos. Não digo que não é legal ganhar e dar presentes no Natal, eu particularmente amo fazer isso, mas talvez tenha outras alternativas para fazer as compras sem todo esse estress.
Confesso que já tive mais paciência para fazer compras, mas de alguns anos para cá, mudei muito.

Esse negócio de ter que gastar um tempão para achar um vaga para estacionar e depois de achar ter que disputar ela com mais uns três, me tira do sério. Já cheguei a ir embora do shopping porque estava com o estacionamento muito cheio, eu sei que parece exagero, mas pense bem, se eu já estava estressada no estacionamento imagina o que ia acontecer comigo lá dentro. hehehe.
Também não gosto de trombar com as pessoas para poder andar no shopping ou nas lojas, e ter que ficar em filas enormes para poder pagar.

Bom, mas não é por isso que não compro meus presentinhos, minha estratégia é comprar antes dessa época, quando tudo esta calminho ainda. Com muitas vagas para estacionar, com muito espaço para caminhar e sem filas para pagar, eu compro sem estress, e realmente consigo pensar na pessoa para quem estou comprando, e então tentar achar algo que possa agradar.

Será que no meio dessa loucura toda alguém para e pensa o porque desse feriado e de todas essas celebrações. A verdade é que a tempos atrás nasceu um bebê que mudou a história da humanidade. Ele nasceu com o propósito de morrer para nos salvar. Morreu na cruz levando sobre si os pecados da humanidade, e assim nos ligando novamente ao nosso criador. Ele nós deu esperança de vida eterna e hoje todos aqueles que confessarem a Jesus como seu único salvador vão poder desfrutar dessa vida eterna ao lado dele em um lugar maravilhoso preparado para nós.
Muitos podem dizer que isso tudo é lenda. Mas não há como negar que ele é tão importante para a humanidade ao ponto de contamos os anos da nossa história colocando um divisor A.C e D.C que significa antes de Cristo e depois dele. Ele mudou minha vida e a de muitas pessoas que conheço e isso não é história isso é a minha realidade.

Pense nisso, e até mais

Amor incondicional

Estava lendo um livro sobre relacionamentos esses dias e uma pergunta me chamou a atenção. O que é amor incondicional? Para explicar melhor vou resumir um trecho do livro.

“Se alguém lhe perguntasse porque você ama seu esposo ou esposa? A maioria das pessoas responderia essa questão citando as qualidades de seus parceiros, como senso de humor, inteligência e simpatia. Mas se com o passar dos anos e seu companheiro deixasse de ser e ter todas essas qualidades, você ainda o amaria? Certamente a resposta lógica seria não. Se as razões para o seu amor estão nas qualidades da pessoa amada, quando essas qualidades desaparecem o amor perde a base de sua existência.
A única maneira para o amor durar para vida toda é se ele é incondicional, ou seja, quando o amor não é determinado pela pessoa amada, mas sim por aquele que escolheu amar.”
(tradução e adaptação do livro The Love Dare)

Eu sei que esse é um assunto polemico, muitas pessoas podem dizer que isso dá margem para mulheres que são maltratadas ficarem quietas e aceitarem o sofrimento ao lado de homens cruéis. Mas, eu não estou me referindo a esse tipo de relacionamento doente. Quero falar de um relacionamento normal, em que muitas vezes devido ao tempo sofre mudanças. E de repente aquela pessoa que era bem humorada e positiva devido as dificuldades da vida começa a agir diferente, ou então aquele que tinha o corpo perfeito já não esta mais com aquela bola toda. Nesse hora muitos dizem eu não te amo mais. Acho que nesses casos talvez não houvesse um amor verdadeiro desde o começo do relacionamento. O amor não é como a paixão que chega arrebentando com o coração, ele é mais sutil e mais difícil de ser trabalhado, o amor não é só um sentimento, mas sim uma decisão seguida de atitude.

Para nós seres humanos imperfeitos essa não é uma tarefa fácil, mas com a ajuda do nosso criador, que é perfeito e que nos entende, podemos ser vitoriosos nessa caminhada do amor.

Com base nesse livro foi feito um filme chamado em português de “Prova de fogo” (Fire Proof). Eu recomendo, o filme é muito bom.

Abraços e vamos colocar o amor em prática!

Completando 1 ano

Hoje é um dia especial. Eu e o maridão estamos completando um ano de Austrália.

No dia 08 de dezembro de 2008 estavamos chegando na Austrália de mala e cuia. Me lembro de sentir um grande frio na barriga quando deixamos nossas coisas no hotel e saímos para conhecer a cidade de Perth que seria nosso novo lar daquele dia em diante. Mas o medo logo passou, foram tantas novidades e pessoas de diferentes lugares do mundo para ver e conhecer que não tive mais tempo para ficar com frio na barriga.

As primeiras palavras trocadas em Inglês, a primeira compra no mercado, o primeiro apartamento alugado, tudo muito diferente e emocionante. Eu não tinha idéia de quando seria capaz de me virar sozinha nesse lugar. Mas Deus nos abençou muito e depois de um ano já concluí meu curso de inglês, tirei carteria de motorista Australiana, arrumei meu primeiro trabalho e estou muio feliz e satisfeita com esse ano de Austrália.

Em algumas coisas já posso dizer que abracei o modo Australiano de viver, como por exemplo, não se empetecar toda só para ir no supermercado ou no shopping, andar de chinelos havainas com mais frequência, fazer as coisas mais devagar e não esquentar tanto a cabeça, comer algo mais leve no almoço e caprichar na janta, que por sinal é bem mais cedo do que no Brasil, comer torradas e cereal no café da manhã, receber o salário semanalmente, pagar o aluguel e ir ao mercado com a mesma frequência.

Bom, esse é um resumo do meu primeiro ano na Austrália, e agora é só começar a contagem do segundo.
E vamos em frente porque essa história continua.